« voltar

avançar »

São Paulo,.

 

 

    Se bem que se saiba com toda a segurança que o Buldogue Francês na sua forma moderna apareceu na França nos finais do século XIX, ninguém está de acordo sobre as suas origens remotas, que continuam provocar intensas e estimulantes discussões entre os especialistas.
 
    Entretanto, a teoria que mais prevalece é que pequenos comerciantes, provenientes da Inglaterra, fixaram-se ao norte da França com seus Buldogues Ingleses, pequenos demais para a raça - estes cães eram, na verdade, “escória” dos criadores de Buldogue Inglês da Inglaterra. Lá acabaram acasalando-se com cães terriers rateiros locais. Os frutos desta mistura agradaram. Eram ótimos no extermínio de roedores e bons de companhia. Em pouco tempo espalharam-se pelo país.
 
    Os açougueiros e ajudantes do matadouro de La Villette, em Paris, foram os primeiros a criar o Buldogue Francês. Depressa foram imitados por cocheiros, sapateiros, vendedores ambulantes de frutas e até por agentes da polícia que se entusiasmaram com o pequeno Boule (Boule é a apócope de Bouledogue Français, nome francês do Buldogue Francês). Nos cafés organizavam-se reuniões para comparar os melhores exemplares; trocavam-se conselhos e, sobretudo, tentava-se obter cães mais fortes sem medir sacrifícios. Transformado na estrela de Paris dos ofícios humildes, o boule freqüentava os bairros populares de Pantin, Belleville e Lês Halles. O seu físico, o seu tamanho reduzido, a sua peculiar fisionomia, o seu caráter absolutamente encantador começaram a impor-se e a cativar os cada vez mais numerosos aficionados dos cães de cara chata.

    Pouco depois, o Boule introduzir-se-ia nas casas públicas onde as mulheres de Belle Époque o adotaram por causa do aspecto excêntrico. Imortalizado por Toulouse-Lautrec no seu quadro Le Marchand de Marrons (O Vendedor de Castanhas) em 1901, o Buldogue Francês percorria como um conquistador os Champs Elysées, os grandes boulevards, o Bois de Boulogne...

    Mistinguett, Colette, Mac Orlan, o rei Eduardo VII e alguns grandes duques da coete da Rússia rendiam-se ao encanto deste pequeno cão exótico, cujo corpo musculoso e andar gingado evocavam os rufiões da feita. Este repentino interesse, fomentado pela tout Paris contribuiu em grande medida para o auge do Buldogue Francês que ainda hoje, apesar da raça ser considerada “exótica”, desfruta de grande notoriedade, principalmente no exterior.

Le Marchand de Marrons

    Em 1880, o primeiro clube especializado na raça, já batizada com o nome atual foi fundado. Em 1898, a entidade máxima da cinofilia francesa reconheceu-o oficialmente como raça nacional, provocando escândalo nos meios britânicos. Assim, por exemplo, era possível ler na imprensa especializada: “Nós, ingleses, que sempre tivemos um grande afeto pelo nosso cão nacional (Buldogue Inglês), teremos que repudiar esse pequeno monstro indescritível que trouxeram para o nosso país, por mais que o chamem de Buldogue Francês”. Este apelo nada adiantou, o exótico francês apaixonava cada vez mais os ingleses. Em 1900, o Buldogue Francês não só estava difundido pela Europa, como já havia chegado aos Estados Unidos da América. É indiscutível que sem a influência e dedicação de criadores do continente Americano, a raça talvez não seria o que fosse hoje. Foram eles que organizaram o 1º clube do buldogue francês do mundo e foram eles que insistiram com as “orelhas de morcego”.

    Um ponto de interesse histórico do Buldogue Francês: um Boule que foi segurado pelo valor “astronômico” (para a época) de U$750,00 (setecentos e cinquenta dólares) estava a bordo do famoso e naufragado Titanic. Seu nome era Gamin De Pycombe, propriedade do banqueiro Mr. Robert W. Daniels.

    Buldogues Franceses verdadeiramente são uma raça internacional, com criadores de várias nações sendo responsáveis pela criação dos apaixonantes cães que conhecemos nos dias de hoje.

Informações e imagens cedidas gentilmente por Camilli Chamone do Canil Ville Chamonix.

www.villechamonix.com.br


 

Melhor visualizado no IE e em 1024

^ topo

Designed Ordobás by Ordobás

Canil DU GUSSONI - Bulldog Francês - PAULO AUGUSTO GUSSONI - São Paulo/SP -Fone: (11) 997.828.022 - Email: [email protected]